Transporte na Copa

HomeA Vida na Cidade

Transporte na Copa

Inspirado em algumas cidades europeias, o governo da Rússia vem buscando alternativas de sistemas transportes públicos, focando em recursos elétricos que não dependam do asfalto, como metrôs, monotrilhos, teleféricos e funiculares.

O melhor presente é o seu tempo
Mobilidade através do tempo
Quanto vale o tempo?

A Copa do Mundo da Rússia atraiu os olhares de todo o globo para o país de dimensões continentais. Enquanto questionamentos sobre as distâncias entre os jogos e a necessidade de infra-estrutura no setor de transportes possam surgir, nós fomos buscar mais informações a respeito da mobilidade dentro dos centros urbanos russos.

Inspirado em algumas cidades europeias, o governo da Rússia vem buscando alternativas de sistemas transportes públicos, focando em recursos elétricos que não dependam do asfalto, como metrôs, monotrilhos, teleféricos e funiculares. O objetivo desta iniciativa é  diminuir o congestionamento nas vias e melhorar a qualidade do ar.

Mas além destes, há um outro modal de transporte que merece destaque: é claro, a bicicleta. Nos últimos anos, o uso das bikes em Moscou cresceu significativamente. De acordo com a prefeitura da cidade, em 2015, o número de adeptos aumentou para pelo menos dois milhões de pessoas. A cidade está, cada vez mais, estruturada para este tipo de transporte. Para se ter ideia, já foram investidos mais de US$ 9,4 milhões em construções de ciclovias.

Compartilhar, pedalar e fluir

Reforçando esta tendência, Moscou abraçou o sistema de compartilhamento de bicicletas por aluguel. A cidade  já comporta 421 estações, incluindo modelos elétricos. Para alugar, é preciso realizar um cadastro nas plataformas digitais da velobike.ru e registrar um cartão de crédito. O aplicativo mostra todas as estações, rotas e postos de assistência técnica para auxiliar os usuário

Uma história antiga

A paixão dos russos pelas magrelas não é novidade. Em 1867, Aleksandr, filho do imperador Nikolai ganhou sua primeira bike e se apaixonou pelo ciclismo. Logo, outros membros da realeza viraram adeptos, andando com as bikes inclusive dentro dos palácios como forma de diversão. Outro fato histórico que demonstra essa paixão foi o desfile de 1 de maio de 1920, em comemoração ao dia do trabalhador, quando a magrela foi usada como transporte.

De volta à 2018

Enquanto isso, durante a Copa estão sendo implementadas medidas para incentivar o uso da bike através dos sistemas de compartilhamento. Quem optar pelo acesso no plano de três dias pagará o preço normal de 350 rublos (um pouco mais de 20 reais), mas terá o dobro de tempo para usar a bike.

O potencial de levar torcedores e visitantes aos jogos e pontos turísticos é tanto, que diversas agências de viagem passaram a oferecer tours de bicicletas. Hoje, é possível visitar as colinas Vorobiôvi, o parque Górki (Parque Central da Cultura e Descanso) – Neskútchni Sad, as colinas Krilátskie e Parque Sokôlniki.

O incentivo ao uso da bike se estende a diversos países europeus, o que nos faz refletir sobre o papel da bike na mobilidade dentro dos grandes centros. Além de melhorarem o fluxo do tráfego, contribuem para redução da poluição do ar e do som.

Publicação recente
Publicação antiga

COMENTÁRIOS

WORDPRESS: 0
DISQUS: 0